usineiros pazzi

 
Ademir Furtado
Aleta Dreves (Acre)
Carlos Rodrigo Schönardie
Claudiom dos Santos
Deise Martins (São Paulo)
Lucas Colombo
Malu Cardinale
Márcia Schmaltz (China)
Raquel Figur (Inglaterra)
Ricardo Moresi (Alagoas)
+
Encontros Caóticos
Entrevista
Eu e mim mesmo
 

 

 

expediente
 

Diretora de Redação
Maria Luiza Cardinale Baptista (Mtb 6199/25/71)

Editor
Lucas Colombo

Webmaster
Maikel Lersch

Assistente de Comunicação
e Planejamento
Deise Tagiane

Usina Pazza é uma publicação da Pazza Comunicazione, destinada
à informação e análise
de temas relacionados
à comunicação e cultura
do Brasil e do mundo.

Os textos são de inteira responsabilidade
de seus autores. 

 
Reportagem
 

Penedo, a "Grande Rocha"

Ricardo Moresi

 
         Beleza e História. Estas palavras definem Penedo, a primeira vila fundada em Alagoas. A cidade, que surgiu na parte sul do Estado, em 1560, foi erguida sobre um rochedo - daí o nome Penedo, que significa "grande rocha" -, à margem esquerda do baixo rio da integração nacional, o São Francisco. No seu vasto patrimônio artístico-cultural, a arquitetura ocupa posição de destaque. Igrejas no estilo barroco, casas coloniais e sobrados que datam dos séculos XVII e XVIII compõem a paisagem urbana desta cidade ribeirinha.

        Cenário de algumas locações do filme Deus é Brasileiro (2003), de Cacá Diegues, Penedo recebeu este nome dos franceses, que atravessavam a região em busca de pau-brasil . Distante 157 km de Maceió, a cidade tem uma área de 633 km2 e uma população urbana de aproximadamente 45 mil habitantes.

Roteiro indispensável


Igreja Nossa Senhora das Correntes
(www.penedo.al.gov.br)

        Ao chegar a Penedo, não tenha pressa. Comece conhecendo os templos, que guardam rico acervo do patrimônio de Alagoas. Um bom ponto de partida é a Igreja de Nossa Senhora das Correntes, cujo nome derivou da 'corrente forte' do rio São Francisco, segundo alguns moradores . A sua construção iniciou em 1720. A fachada possui estilo barroco, e o frontão é da "escola pernambucana", com três janelas e uma porta. A nave foi decorada com azulejos portugueses , e o piso é de mosaico inglês. No forro , há uma pintura ilusionista do Sagrado Coração de Jesus. As paredes vazadas serviam de esconderijo para os escravos, que ficavam lá, até conseguirem uma carta de alforria falsificada e, assim, fugirem para o Quilombo dos Palmares. A Igreja está localizada na Praça 12 de Abril, s/n.


Catedral Diocesana de Penedo
(www.canalpenedo.com.br)

        Depois de conhecer a Igreja de Nossa Senhora das Correntes, você pode visitar a Catedral Diocesana de Penedo, localizada na Praça Barão de Penedo, s/n. As obras foram iniciadas no fim do século XVII. A Catedral tem duas torres de proporções regulares, divididas por um frontão, ornamentado por vitrais franceses. Na parte interna, existem arcos romanos, cavidades greco-romanas nas paredes e a capela do Santíssimo Sacramento.

        Caso você queira conhecer outras igrejas também, não irá se arrepender. Há, ainda, em Penedo, o Convento Franciscano e Igreja Conventual Santa Maria dos Anjos, além da Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos e a Igreja de São Gonçalo Garcia dos Homens Pardos. Esta começou a ser construída em 1758. Suas torres datam do século XIX. A fachada exibe requinte e beleza, com decorações esculpidas em pedra calcária.

Outros atrativos


Oratório da Forca
(www.canalpenedo.com.br)

        O Oratório da Forca, erguido em 1769, é mais uma das tantas construções coloniais existentes em Penedo. Neste, os escravos condenados à morte faziam suas últimas preces, enquanto aguardavam a chegada do carrasco.


Paço Imperial
(www.penedo-al.com.br)

        Outro atrativo é o Paço Imperial, situado na Praça Rui Barbosa. Trata-se de um sobrado, que acolheu o imperador D. Pedro II durante uma visita à cidade, em 1859.

        O Teatro Sete de Setembro também é destaque. De arquitetura italiana, foi o primeiro a ser construído em Alagoas. Inaugurado em 1884, é propriedade da Imperial Sociedade Filarmônica Sete de Setembro.


Mirante da Rocheira
(Turismo Alagoas)


        O Mirante da Rocheira está situado na rua do mesmo nome. Deste, é possível ver, na outra margem do rio, a cidade de Santana do São Francisco (Sergipe). A antiga "Vila do Carrapicho" vive do artesanato cerâmico e abastece as feiras públicas da região.

        Os eventos realizados na cidade também são grandes atrações. Todos os meses de janeiro, por exemplo, acontece a Festa do Bom Jesus dos Navegantes, uma das principais de Penedo. Trata-se de uma procissão fluvial no "Velho Chico", nome popular do Rio São Francisco, que envolve cerca de cem barcos.

        Por falar no Velho Chico, visitar Penedo, realmente, desperta a vontade de fazer um passeio pelo rio. Neste caso, você escolhe o meio de transporte: canoa, balsa, lancha ou catamarã. Ao chegar ao leito do São Francisco - rio descoberto no dia 4 de outubro de 1501, dia de São Francisco de Assis, pelos navegadores Américo Vespúcio e Gaspar Lemos -, somos tomados pela grandiosidade, pelo encanto e pela beleza desta veia pulsante, que, por outro lado, agoniza, em busca de socorro. O rio sobrevive em meio ao assoreamento e ao desaparecimento dos peixes. Parece condenado pela severa degradação a que é submetido diariamente. Quiçá um dia as gerações futuras poderão apreciar o que, hoje, ainda temos oportunidade.

 
 

 

 

Pare & Pense

galeria

Produto da Rua

Nas fotos de
Romulo Lubachesky,
os trabalhadores das
ruas de Porto Alegre
como você nunca viu.


REFLEXÕES...

O segredo de uma boa velhice não é outra coisa que um pacto honrado com a
solidão.
Gabriel García Márquez
escritor colombiano
que completa 80 anos
em 2007

 

 
Pazza Comunicazione, 2006
usina.pazza@pazza.com.br